Tecnologia do Blogger.

Já parou pra pensar em tudo o que você já conquistou?


Recentemente, eu estava conversando com uma pessoa sobre comprar ou não comprar uma casa, e após eu dizer que particularmente não pretendo comprar uma casa agora, ela me disse a seguinte frase "Bom, eu entendo seu lado até porque você ainda é jovem, mas eu sinto que já vou fazer X anos e ainda não conquistei nada na minha vida, então eu quero comprar uma casa em breve".

Esse pensamento me chamou atenção, primeiramente por essa pessoa pensar de forma diferente de mim sobre comprar uma casa agora ou não, mas principalmente, pelo fato de ela pensar que precisa comprar uma casa, para sentir que conquistou algo na vida. Acredito que há muitas pessoas por ai que pensam desta maneira, e eu mesma já pensei assim um dia.

Acontece que hoje, eu consigo enxergar a vida de uma perspectiva diferente, sobre vários aspectos. Apesar de eu ter apenas 22 anos, eu sinto que conquistei tanta coisa na minha vida e que ainda vou conquistar tantas mais, mas a maioria delas (se não todas) não são consideradas padrões de status social.

Eu acredito que conquista é tudo aquilo que nos desafiamos a alcançar na nossa vida e que conseguimos realizar, nos trazendo felicidade e satisfação, mesmo que não pareça uma grande conquista aos olhos de outra pessoa. A questão é que, sempre acabamos nos deixando influenciar pelo que os outros pensam de nós, queremos mostrar que somos bons, que fomos bem sucedidos, que "conquistamos coisas" na nossa vida.

Não importa se você aprendeu a falar aquela língua fictícia da sua série/filmes favoritos e isso era algo que você queria muito e lhe trouxe muita satisfação, se aos olhos do mundo isso é perda de tempo e conquista mesmo é comprar uma casa, então é isso que você quer fazer, para mostrar ao mundo que você venceu na vida, mesmo que comprar uma casa não faça sentido nenhum na sua vida agora ou que isso vá te trazer uma dívida que você não poderia adquirir.

Não importa se você queria trabalhar como jardineiro, garçonete ou faxineira, e isso te faça muito feliz, aos olhos dos outros essas coisas não são grandes conquistas, conquista mesmo é trabalhar naquele escritório daquela empresa importante, naquele cargo importante, e isso faz parecer que você é importante e conquistou algo na vida, então é isso que você quer fazer, mesmo que odeie seu dia a dia no trabalho.

Não importa se você aprendeu coisas incríveis e super interessantes com todos os livros que você leu por conta própria ou com todos os vídeos que viu no youtube ou todos os documentários na tv a cabo, pois a quantidade de conhecimento que você tirou dessa fonte alternativa de aprendizado não pode ser exatamente vista pelas outras pessoas, mas se formar em uma faculdade faz parecer que você teve uma grande conquista na vida, mesmo que tenham sido apenas anos arrastados de aulas que você matou e provas que você colou para passar, ter se formado na faculdade faz as pessoas pensarem que você conquistou algo na vida, então é isso que você quer fazer.

Me perdoem aos formados seja lá no que for, mas para mim diploma é apenas um pedaço de papel. Por exemplo, quantas pessoas conheci que tinham o diploma de X anos de cursinho de Inglês, e que quando colocadas frente a frente com um gringo, mal conseguiam manter uma conversa simples. Eu fiz 2 anos de um curso técnico de Petróleo e Gás, e nunca me formei. Não tenho diploma, não posso dizer que sou formada nessa área, mas só eu sei o que eu aprendi nesses 2 anos, mesmo que aos olhos dos outros, eu não tenha "conquistado" essa formação.

Veja bem, não se trata de quantos cursos e faculdades você fez ou quantos livros você leu, e sim o quanto você aprendeu com todas essas coisas, essa é a verdadeira conquista, mesmo que outros não vejam dessa forma. Não se trata de quantas pessoas você tem adicionadas como "amigos" no facebook, e sim de quantas aparecem quando você está doente. Não se trata de quantos lugares você do mundo já conheceu, e sim o quanto você aproveitou e aprendeu com cada um deles. A vida não é uma lista de coisas que nós devemos fazer para acharem que conquistamos algo na vida.

Eu cresci e vivi em uma obra constante por grande parte da minha vida, durante muito tempo minha mãe quis fazer reformas na nossa casa mas não tínhamos dinheiro suficiente para fazer tudo de uma vez, então fazíamos por partes e sempre tinha uma parte inacabada na casa. Devido a isso durante muito tempo meu sonho foi morar em uma casa pronta, finalizada e nova, sem nenhuma obra em andamento e sem nada que precisasse ser reformado. Hoje eu vivo nessa casa e me sinto extremamente grata, sinto que conquistei algo que sonhei durante muito tempo. Ao ler isso, muitas pessoas podem dizer "ué, mas você mora de aluguel" e é verdade, mas não importa! Tendo eu comprado ou alugado, eu moro na casa que costumava ser meu sonho quando eu era pequena, e pra mim isso é uma grande conquista, mesmo que não faça sentido para outras pessoas.

Lembro que quando eu era pequena, eu via as pessoas falando Inglês e eu achava isso sensacional, eu não só sonhava em aprender como eu sabia que um dia eu aprenderia essa língua que eu sempre achei fantástica. Não só pela língua Inglesa em sí, mas só o fato de falar uma outra língua que não era minha língua nativa, eu achava surreal e queria isso pra mim. Não vou mentir, eu fiz uns 2 anos de cursinho de Inglês que me ajudaram em alguma coisa, mas hoje eu falo Inglês quase fluente e a maior parte desse aprendizado foi por conta própria, estudando sozinha por vários meios diferentes. Muitas pessoas podem dizer "grande coisa, hoje em dia todo mundo fala Inglês" mas pra mim é uma grande conquista.

Assim como sempre sonhei em falar Inglês, eu sempre sonhei em sair do Brasil, pelo menos uma vez, e conhecer o que tem lá fora, principalmente a Europa. Ano passado,  eu e meu marido planejamos e juntamos dinheiro durante 1 ano inteiro, e ao final de muito planejamento, eu saí do país pela primeira vez, em uma viagem de férias que fizemos ao Chile. Não foi para a Europa como eu sonho e como muita gente visa, ou para os EUA, mas eu realizei algo que sempre sonhei e pra mim foi uma conquista INCRÍVEL. Incrível por eu ter realizado meu sonho de sair do país, e também pela satisfação que sentimos ao conseguir realmente tirar do papel algo que planejamos tanto e pelo qual juntamos nosso dinheirinho suado por tanto tempo.

Falando no meu marido, hoje eu tenho um relacionamento de quase 3 anos, em que eu divido a vida com essa pessoa incrível que me faz feliz e me inspira a ser melhor todos os dias. Nós não fizemos a tradicional e maravilhosa festa de casamento que todos fazem ou sonham e fazer, ninguém pode comentar sobre quão incrível foi aquela festa ou quão linda eu fiquei vestida de noiva, porque não fizemos nada disso. Pra falar a verdade, nós nem mesmo nos casamos no papel, simplesmente vivemos juntos e passamos a nos tratar por marido e esposa. Independente de qualquer coisa, para mim é uma das maiores conquistas da minha vida, um relacionamento saudável e feliz com a pessoa que eu amo.

Não me entenda mal, eu faço faculdade, mas faço porque gosto muito da área que estudo e quero aprender mais sobre o assunto para aplicar no meu dia a dia. Eu não me formei no meu curso de petróleo e gás, não comprei uma casa e não fui para a Europa, mas eu certamente conquistei muitas coisas na minha vida, as que mencionei aqui e outras, algumas não passam de coisas pequenas do dia a dia, mas que para mim não deixam de ser conquistas.





Aprendendo a amar o corpo em que habito



Aprender a amar o próprio corpo não é tarefa fácil, principalmente para as mulheres. A quantidade de influência que sofremos, as críticas e sugestões sobre como deveria ser o corpo perfeito, e como poderíamos alcança-lo. As 800 opções de dietas milagrosas, e ainda assim, parece que nada é suficiente para alcançar o biótipo perfeito.

Passei a maior parte da minha infância e adolescência tendo paranoias sobre o meu corpo, sempre fui extremamente magra e alta, e apelidos como magrela e Olivia palito sempre fizeram parte da minha vida. Durante a adolescência, eu tinha vergonha de sair de shorts, saias ou vestidos, qualquer coisa que deixasse minhas pernas finas a mostra. Se eu fosse sair de casa, era de calça jeans. Nas aulas de educação física, minha mãe tinha que escrever bilhetes aos professores para que abrissem uma exceção quanto à calças de ginastica, que me deixavam extremamente desconfortável por evidenciar minhas pernas finas.

 A maioria dos tipo de roupa, eu achava que não ficavam bem no meu corpo, pois para usar tal blusa, eu achava que precisava de seios, coisa que nunca tive. Deus me livre surgir um evento de última hora em que eu tivesse que ir pra rua comprar roupa, pois nada me servia, nada cabia em mim, tudo ficava largo, sobrando, e sempre precisava ajustar, apertar. Comprar roupas era um estresse completo.

Tomei remédios para engordar, fiz dietas de "engorda", tentei fazer exercícios para ver se desenvolvia massa muscular, e até pensei algumas vezes em métodos mais sérios para algumas coisas, como colocar silicone quando tivesse idade suficiente, ou fazer uma cirurgia para concertar minha orelha de abano.

A verdade é que quase todas nós passamos por este tipo de estresse, cada uma por motivos diferentes, mas a medida que crescemos, encontramos diversos motivos para ficarmos insatisfeitos com nossos corpos. Muitos me disseram que quando eu crescesse, isso já não importaria tanto, e eu nunca acreditei. Hoje percebo, que essas paranoias não são originalmente nossas, e sim coisas que são sutilmente colocadas nas nossas cabeças, ou coisas que achamos que precisamos para agradar as outras pessoas. Este é o maior dos problemas, principalmente durante a adolescência, sentimos essa pressão em pertencer, e principalmente agradar, seja à um grupo de amigos ou à um garoto em especial que queremos que repare em nós.

Hoje, com 22 anos, eu percebo que isso já não me incomoda mais. Percebi que a única pessoa que eu tenho que agradar é a mim mesma, a única pessoa que tem que estar feliz com o meu corpo sou eu, pois sou eu quem o habito. Hoje a opinião das pessoas sobre mim, já quase não me afeta mais.

Aprendi que este é o meu corpo, e apesar de todos os meus esforços, ele não mudou, porque ele não deve mudar. Meu corpo é assim, foi feito para ser assim, e irá permanecer assim. Essa sou eu, e deixe-me lhe dizer, é libertador aceitar isso. Hoje eu saio com a roupa que eu quiser, e não me sinto mal por isso, o importante é eu me sentir confortável e me sentir bem. Amo minhas pernas finas, meus seios pequenos, minha orelha de abano. Que me importa se os outros não concordam? No fim das contas, quem dorme e acorda neste corpo sou eu. Quem cuida, alimenta, limpa e exercita este corpo sou eu. Quem são os outros para se atreverem a dizer como ele deve ser ou o que devo fazer com ele?

Hoje eu aprendi que está tudo bem ser diferente das outras mulheres da minha idade ou do meu convívio, afinal, somos pessoas diferentes, com mentes diferentes, crenças diferentes, personalidades diferentes, por que nossos corpos seriam iguais?

Ser diferente já não é mais um problema para mim, é algo pelo qual eu aprendi a ser grata. Cada um de nós tem algo diferente e único, quase que como um ingrediente que nos torna especial e faz a gente se destacar das outras pessoas. Aprenda a amar o corpo em que você habita, ele é somente seu e só você sabe o que deve ou não fazer com ele, como ele deve ser ou como você se sente confortável nele. Não há nada mais libertador do que aceitar quem você é.

Sim, fizemos uma viagem internacional. Não, não estamos com muita grana.


Além de todo o suporte que recebemos na nossa viagem, todo apoio daqueles que sabem o quanto batalhamos pra isso e sabem o quanto merecemos essas férias, é claro que também tem aqueles que vão dizer "Nossa, fulano está viajando pra fora do Brasil, deve estar rico" ou "Com dinheiro é fácil".

No início eu confesso que teve vezes até que eu pensei em deixar de postar sobre a nossa viagem ou as coisas que fazemos por aqui, pra não parecer arrogante nem nada sabe, como se estivéssemos nos amostrando? Mas depois eu parei pra pensar em como isso é ridículo. Nós não somos ricos, quem é próximo de nós sabe o quanto batalhamos pra fazer essa viagem, por quanto tempo planejamos, quantas coisas deixamos de fazer para que esse sonho fosse possível.

Acredite se quiser, essa viagem custou menos do que muita gente imagina. As vezes taxamos algo como inalcançáveis pra nós, e julgamos os outros quando o alcançam. A verdade é, que a maioria das pessoas poderia estar fazendo essa viagem (sim, você leu certo) e não faz simplesmente pois não determina isso como uma prioridade, e está tudo bem! As pessoas tem gostos diferentes, prioridades diferentes, e não tem nada de errado nisso. Cada um faz o que bem entende com seu dinheiro, não é mesmo? Afinal é para isso que trabalhamos, para usar o dinheiro no que é prioridade para nós.

Desde o ano passado, decidimos que este ano iríamos fazer nossa primeira viagem, mas não só falamos isso um pro outro da boca pra fora, fizemos acontecer! Veja bem, somos um casal jovem, sem filhos, que trabalham em tempo integral e que planejaram durante 1 ano fazer uma viagem. Então durante esse ano, nosso foco e prioridade total do nosso dinheiro, foi fazer essa viagem. Cortamos gastos, trabalhamos como dois condenados, ficamos em casa nos fins de semana, não nos demos luxos como passeios, comprar roupas, não temos carro, não gastamos com gasolina, não gastamos dinheiro atoa no geral, pesquisamos muito promoçõese foi com essa disciplina que fizemos essa viagem possível.

A verdade é que a maioria das pessoas que dizem "Fulano deve estar cheio da grana para estar fazendo essa viagem" tem a mesma condição que nós ou até mais, mas passou o ano talvez saindo todo fim de semana, sustentou um carro, fez viagens dentro do Brasil mesmo ou até dentro do estado, comprou roupas novas, jantou fora toda semana, e novamente, está tudo bem! Porque cada um tem suas prioridades, cada um decide o que faz com seu dinheiro suado, pelo qual tanto trabalhou.

Meu ponto é, que essas pessoas teriam condição de ter feito essa viagem se quisessem, mas não decidiram por isso. E se nós estamos fazendo o que estamos fazendo, é porque abrimos mão de umas coisas, para ter outras. Portanto, mais amor e menos julgamento pessoal! E se é seu sonho viajar, eu estou aqui para te dizer, sem medo de errar, que você consegue. Basta você se planejar para isso, e em partes é pra isso que criei esse blog, para compartilhar com outras pessoas a nossa jornada, e que nossas dicas sejam úteis para que as pessoas possam realizar seus sonhos de viajar, assim como nós.